sábado, 13 de agosto de 2011

Diário de soldado

Nós vamos infestar, adoecê-los, faremos o diabo pra que todos se sintam derrotados. Depois os curaremos, os levaremos às suas casas, trataremos suas feridas de uma guerra perdida. Nada foi proclamado, muito menos ganhamos uma mísera batalha. Tudo que conseguimos são histórias; histórias vagas sobre como tudo começou. Sabíamos o começo, pelo menos. Porque nossas cabeças sempre estavam cansadas demais pra se lembrar do fim, o que se tornou uma epidemia - ninguém mais saberia contar o fim.
Isso vem se arrastando há anos. Tanto tempo que não existem dedos que possam contá-los. A história de como o amor começa e nunca ninguém sabe como termina.

3 comentários:

  1. Como já disse antes, na minha opinião, é o seu melhor texto.

    ResponderExcluir
  2. Até encontrar um título deu o bicho, hahaha.
    Ficou ótimo, perfeito! *--*

    ResponderExcluir